MEDIDAS PREVENTIVAS CONTRA O CORONAVÍRUS NOS AMBIENTES DE TRABALHO


Considerando a crise mundial que assola o planeta em função da rápida proliferação do agente patogênico Coronavírus (COVID-19), atingindo a população mundial, ultrapassando todos os limites geográficos.

Considerando que os locais de trabalho são ambientes com potencial de multiplicação devido a concentração de pessoas que ficam juntas por grandes períodos, conversam muito próximas, trocam documentos, equipamentos entre outros materiais que podem alojar o vírus por horas.

A Cassilab elaborou este documento para auxiliar no combate a disseminação do agente patogênico em questão dentro dos ambientes laborais, com base nas orientações disponibilizadas pelos órgãos de saúde do Brasil e pela OMS - Organização Mundial da Saúde, mesmo que até o momento a empresa não possua nenhum caso ou mesmo suspeita de contaminação, até porque essas medidas estratégicas embora destinadas aos coronavírus, também poderia ser útil como forma de profilaxia para conter outras enfermidades contagiosas.


1 – Estação de Trabalho

· Cadeiras, mesas, telefones, teclados computadores e outros equipamentos precisam ser higienizados com pano e desinfetante regularmente (a contaminação de superfícies é uma das principais formas de transmissão de Covid-19) devido ao fato de que as pessoas tem por costume colocar as mãos no rosto, olhos, boca e nariz (em média 23 vezes ao dia), no Brasil está sendo usado como principal agente de desinfecção o álcool 70%.

· Se possível, incitar o trabalho remoto (em um esquema de home office, por exemplo) auxilia a evitar contatos desnecessários, considerando que o isolamento social é uma das forma mais eficazes de contenção da doença. Além disso, os colaboradores deixam de usar o transporte público, onde há grandes aglomerações.

· Reduzir reuniões, dar preferência às reuniões remotas (Skype, Zoom, etc.), caso não seja possível, promovê-las evitando sempre locais fechados e apenas com ar condicionado, e com o menor número de pessoas possível..

· Evitar compartilhamento de materiais como canetas, grampeadores e utensílios em geral que são usados em escritórios ou até mesmo processo que usam ferramentas da área operacional. Além do ar as mãos possuem grande potencial de transmissão.

· Evitar alimentar-se nos postos de trabalho, como também evitar o compartilhamento de utensílios para alimentação (garfos, talheres e facas, copos), de preferência cada colaborador deverá possuir seus próprios utensílios.

· Considerar o isolamento social para trabalhadores com mais de 60 anos e com doenças pré existentes como diabetes, problemas cardíacos, hipertensão arterial, pacientes imunossuprimidos, doenças auto imunes, do trato respiratório, entre outros.


2- Promover Higiene Respiratória

· Disponibilizar lenços descartáveis em diversos locais do ambiente de trabalho para o empregado assoar o nariz ou tossir sem espalhar gotículas com vírus. Lixeiras com tampa precisam estar ao lado para jogar fora o papel adequadamente.

· Caso haja algum trabalhador doente ou com febre e sintomas respiratórios, não vá ao trabalho.

· Se não tiver um lenço à disposição, cubra a boca e o nariz com o antebraço ao tossir ou espirrar. E lave o braço assim que possível.

· No caso dos equipamentos de ar condicionado, diminuir o tempo entre as limpezas ou trocas do filtros.

· Manter os locais ventilados com entrada de ar natural se possível.

· No Brasil não está sendo indicado uso de máscaras e luvas como forma de proteção para pessoas não infectadas, tendo em vista que desconhece os procedimentos corretos do uso e acabam se sentindo protegidas e ou protegendo. Como o agente infeccioso é o contato das mãos, as pessoas usam as luvas indiscriminadamente e acabam tocando seus rostos e máscaras promovendo a contaminação. Os órgãos de saúde salientam ainda que as máscaras deveriam ser trocadas em no máximo duas horas tornando inviável sua utilização, em tempos superiores ela se torna potencial alojamento organismos patogênicos.


3- Higiene Pessoal e áreas comuns da empresa

· Disponibilizar dispenser para Álcool em Gel em locais visíveis. Esses equipamentos também podem ser usados para colocar sabão líquido no banheiro.

É importante salientar que o trabalhador precisa ser orientado que o álcool em gel não substitui a lavagem das mãos, ou seja, lavar as mãos ao menos a cada duas horas seria muito importante, não tendo a possibilidade de efetuar a lavagem, daí o álcool em gel seria a melhor solução. Cabe também salientar que a lavagem das mãos deverá ser feita de maneira correta, com um mínimo de tempo de 30” (trinta segundos). Disponibilizamos um link do youtube sobre lavagem correta das mãos.



https://www.youtube.com/watch?v=vaddcQLSWwU


· Divulgação entre os colaboradores através de pôsteres ou banners que promovam a lavagem das mãos, é mais uma opção de conscientização para boas práticas de higiene. Combine essa medida com outras de comunicação sobre higiene manual e outras atitudes saudáveis no serviço, como por exemplo evitar cumprimentos com as mãos, beijos, abraços ou qualquer situação que haja contato entre as pessoas, sempre considerando que a distância mínima entre as pessoas deverá ser de pelo menos 1 metro.

· Quando for ao banheiro, antes de fazer as suas necessidades biológicas, fazer a higienização das mãos antes e depois.

· Diminuir os tempos entre as higienizações dos banheiros, com limpeza e desinfecção das pias, torneiras e vasos sanitários e pisos destes locais.

· Higienização dos locais onde as pessoas colocam as mãos com mais frequência como corrimões de escadas, botões de elevadores, mesas das copas, garrafas de café, interruptores de luz, trincos e fechaduras de portas, computadores, telefones, entre outros).

· Limitar a utilização do uso de elevadores em relação à quantidade de pessoas por viagem, mas se possível dar preferência às escadas.

· Lacrar e proibir nesse momento o uso de bebedouro, onde os colaboradores colocam a boca próxima a saída de água.


· 4-Medidas Administrativas


· Intercalar horários de entrada e saída de funcionários de modo a reduzir as possibilidades de concentração de pessoas no transporte público. (Horários de Pico). Salientando que caso haja necessidade de usar o transporte público a preferência é que as janelas estejam abertas.

· Rotatividade de funcionários se possível (dia sim dia não).


· 5- Em viagens de trabalho


· Evitar sempre que possível as viagens a trabalho, mas caso não seja possível, assegure-se de checar as últimas informações sobre o avanço nos casos do novo coronavírus no local onde pretende ir.

· Avalie os riscos e os benefícios da viagem. É possível postergar ou fazer uma reunião à distância?

· Funcionários com condições médicas que aumentam o risco de complicações da covid-19 merecem atenção especial ao considerar se vale a pena viajar a um local com muitos casos. Exemplos: pessoas com diabetes e doenças pulmonares ou cardíacas.

· Considere levar álcool-geral para a viagem e lave bastante as mãos.

· Saiba quem contatar em caso de infecção pelo novo coronavírus e obedeça as autoridades sanitárias locais.

· Ao voltar de um lugar com surto ativo, fique especialmente atento aos sintomas dessa doença respiratória por 14 dias. A empresa também deve monitorar o indivíduo durante o período.

· Se quaisquer sinais suspeitos aparecerem (tosse e até febre leve), fique em casa, evite contato próximo com os familiares e entre em contato com um médico.


· Empresas que atendem consumidores, direta e pessoalmente devem avaliar a segurança de suas instalações que recebem clientes a fim de evitar a propagação do vírus. Recomenda-se avaliar também as políticas para o eventual cancelamento das atividades fornecidas, como eventos e viagens.


· É fundamental que equipes de medicina de trabalho e gestão de pessoas (se houver), estejam capacitadas para orientar e tirar dúvidas dos colaboradores.


· Em caso da confirmação de um caso de COVID-19 no ambiente de trabalho, o empregador deve procurar as autoridades de saúde e seguir o protocolo exigido para essas circunstâncias.


· É importante enfatizar que qualquer atitude deve ser adotada com base nas recomendações das autoridades de Saúde da sua cidade, estado ou país.


· Essas recomendações para os ambientes de trabalho poderá ser estendida para os lares dos colaboradores como por exemplo: ao chegar em casa tirar a roupa e colocar para lavar como também lavar as mãos e rosto, preferencialmente tomar banho, desinfecção dos principais locais.


Palavras da OMS: “Agora é o momento para se preparar contra a covid-19. Simples precauções podem fazer uma grande diferença. As ações que sugerimos protegerão os funcionários e até o negócio”.


Para finalizar gostaríamos de complementar que toda mudança dos nossos hábitos cotidianos nos tiram das nossas zonas de conforto, mas nesse momento devemos considerar que isso é necessário para evitar o comprometimento não somente da nossa saúde como também das pessoas que gostamos e amamos.


A ideia não é só cuidar de nós mesmo, mas sim de todos. A palavra União é a palavra do momento. Lavar as mãos não é mais um ato de higiene e sim de cidadania!


Esperamos que com essas orientações, tenhamos conseguido colaborar com a mitigação desta crise que esperamos que passe rápido.


Todas as orientações aqui dispostas são baseadas nas recomendações dos orgãos de saúde do Brasil, Ministério da Saúde e OMS - Organização Mundial da Saúde.


Juntos nós conseguiremos passar por isso!


Que Deus abençoe a todos!

8 visualizações

© 2023 por Consultoria de sucesso. Orgulhosamente criado com Wix.com